quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Le monde est stone!

Gampará-Guiné, 1972
Porque o mundo que ainda me falta ver é tanto...não, não ficarei por aqui. 
"Aqui", conheci os dois lados da vida: o negro da carência, o sussurro da morte a cada silvo de munição cuspida de "costureirinha", os trilhos minados do medo, o passo fantasmagórico travado na sede, o tombar no capim de irmãos. Mas foi aqui também, qual epifania, ao lado de eternos camaradas, que conheci o melhor lado da vida.
Aquele que nos diz que temos que ir em frente, porque ainda nos falta caminho extraordinário para viver.
E será sempre assim, por esta perspectiva que verei o tanto que me falta trilhar: a minha.
E sabem,nem sequer me importo que outros digam que o mundo é redondo. Para mim, que estive no "outro lado" e voltei, será elíptico. Sim, elíptico. Como o desafio hercúleo...da dureza de uma bola de Rugby!

Sem comentários:

Enviar um comentário