terça-feira, 6 de outubro de 2015

Quanto vale um Soldado?

“As palavras "soldo" ("remuneração por serviços militares") e "soldado" ("homem de guerra") têm sua origem no nome da moeda romana, com a qual os soldados romanos eram pagos” In Wikipédia
O ritual de recebimento do “pré” era , tal como na parada, executado a um ritmo próprio. No Destacamento do DGMG de Sacavém onde morei largos anos, era feito pelo meu pai, que me deixava assistir de um canto, desde que eu me tornasse ( como em puro exercício de camuflagem) praticamente invisível. Da fila formada na porta do gabinete , avançava um soldado que, em continência , dizia, “apresenta-se o soldado nº tal, a fim de receber o seu pré”. Aceite o pedido, recebia o dinheiro com a mão direita( se não estou em erro), passava-o atrás das costas para a mão esquerda e enfiava-o no bolso. Ficava a pensar como, por tão pouco, se dispunham a "arranhar" tanto! Nova continência, rodar nos calcanhares e sair. Sei de alguns casos em que se recebe o pré na boina, ou de outra forma específica. Penso que nos dias de hoje já não será assim, mas aquele ritual, fascinava-me.
O pré, porque o soldado está a soldo, era o seu pagamento pelo serviço que prestava. Depois de lhe ser deduzida a quantia para o seu alojamento, fardamento e alimentação,o que no final lhe era passado para as mãos era quase irrisório. Sim, porque o soldado paga o seu mantimento! Não come e dorme à custa do Estado, como é comum por aí ouvir dizer. Se há dinheiro que vejo por muitos chorado, é o “pré” dos soldados...mais uma (das imensas!) injustiças que lhes fazem.
Se não fosse a vontade e abnegação, na certeza de que será o primeiro a “marchar” se for caso disso, para que quem lho lamenta fique seguro atrás da sua linha de defesa, duvido que apenas por aquela “migalha” muitos outros avançassem.
E pensem comigo: quanto vale uma vida humana, de peito "aberto às balas"? Mais, infinitamente mais, que um parco pré, com toda a certeza.
E se ainda te restarem dúvidas, pensa, ...quanto vale a defesa da TUA?



Sem comentários:

Enviar um comentário